Pesquise no blog

sábado, 1 de fevereiro de 2014

HERPES SIMPLES

HERPES SIMPLES

ETIOLOGIA

FAMÍLIA HERPESVIRIDAE

TRANSMISSÃO

ATRAVÉS DE ESCORIAÇÕES NA PELE OU
CONTATO DIRETO COM MUCOSAS
TRANSMISSÃO POR AEROSSÓIS
FÔMITES E RARA
EM  MÉDIA 12 DIAS APÓS
INICIO DAS LESÕES
EVITAR CONTATO ATÉ A
REPITELIZAÇÃO COMPLETA

INCUBAÇÃO

1 A 26 DIAS

PATOGÊNESE

INFECÇÃO PRIMÁRIA- PELE OU MUCOSAS
INFECTA TERMINAÇÕES   NERVOSAS
MIGRAÇÃO PERIFÉRICA- LATÊNCIA

QUADRO CLÍNICO
FOCO PRIMÁRIO- CLÁSSICO COM A
FORMAÇÃO DE VESÍCULAS OU
PÁPULAS, FORMAÇÃO DE CROSTA
E REPITELIZAÇÃO AO REDOR
DA BOCA OU GENITÁLIA

- FORMAÇÃO DE GÂNGLIOS
INGUINAIS FIRMES E NÃO
FLUTUANTES

- DISÚRIA,CORRIMENTO
URETRAL, FEBRE, CEFALÉIA,
FADIGA E MIALGIA

- FOCO SECUNDÁRIO OU RECORRENTE
NÃO PRIMÁRIO:

- LESÕES MENORES E EM MENOR NÚMERO
- SINTOMAS SISTÊMICOS MAIS LEVES
COM DOR AUMENTADA

DIAGNÓSTICO
CLÍNICO
LABORATORIAL
DIFERENCIAL:
SÍFILIS, CANCRÓIDE,
LINFOGRANULOMA VENÉREO,
CANDIDÍASE, ESCABIOSE,
HERPES ZÓSTER ENTRE
OUTRAS

TRATAMENTO
ANTI RETROVIRAIS

PREVENÇÃO

RASTREAMENTO DE CONTATOS
TRIAGEM SOROLÓGICA
MÉTODOS DE BARREIRA

CUIDADOS DE ENFERMAGEM

ORIENTAÇÃO TRIAGEM SOROLÓGICA
E MÉTODOS DE BARREIRA
OBSERVAR E ANOTAR: NÍVEL DE
CONSCIÊNCIA, SONOLÊNCIA,
EDEMA, EVOLUÇÃO DAS
VESICULAS, PRURIDO, SECREÇÕES
E DOR
HIGIENE DAS LESÕES COM ÁGUA
E SABÃO .



Nenhum comentário:

Postar um comentário