Pesquise no blog

sábado, 4 de janeiro de 2014

Técnica para aspiração endotraqueal

Sonda de aspiração
ASPIRAÇÃO ENDOTRAQUEAL Consiste na aspiração; Técnica aplicada em de secreções da região pacientes que não orotraqueal e conseguem expelir nasotraqueal, bem voluntariamente as como a aspiração de secreções pulmonares, vias aéreas artificiais. traqueobrônquicas, sangue e vômito, sem traumatismos, com a finalidade de manter as Durante a aspiração pode ser vias aéreas permeáveis, necessário o suporte de oxigênio prevenir infecções, de acordo com o quadro clínico do promover trocas gasosas, paciente (COSTA, 1999). incrementar a oxigenação
 -Na aspiração devem ser usadas sondas traqueais maleáveis, estéreis,descartáveis, nos tamanhos adequados, com três orifícios (no mínimo) na extremidade distal, dispostos lateralmente e na ponta, para que não haja colabamento da traquéia, que poderia provocar ulcerações e sangramentos.Este procedimento expõe a sérios riscos, especialmente empacientes sob ventilação mecânica, devendo ser cuidadosa ecriteriosa para evitar complicações sérias como hipoxemia,atelectasia, arritmia e infecção, entre outras (COSTA, 1999).
 - Para realizar a aspiração das vias aéreas, se faz necessário que se tenha à mão: estetoscópio, fonte de oxigênio e conexões, sistema de vácuo e conexões, monitor cardiorrespiratório e saturímetro, óculos protetores, máscara facial, avental descartável, luva estéril, sondas de aspiração traqueal adequada à idade ou a compleição física, solução fisiológica a 0,9 %, compressa estéril, gaze estéril, seringas e ambú (HINRICHSEN, 2004).
- Deve ser realizado de formaasséptica, devendo antes de iniciar oprocedimento lavar as mãos comtécnica correta, abrir a ponta dopapel da sonda estéril, adaptá-la àconexão do vácuo, abrir o vácuo e,em seguida, calçar luvas estéreis. Emseguida, introduz-se o cateter natraquéia do paciente através do tuboendotraqueal ou traqueostomia, narize boca (nesta sequência, seguindodo mais crítico para o menos crítico)o qual deverá estar ligado a umsistema aspirador; a aspiração serárealizada quando a ponta do cateterestiver no interior da traquéia(DREYER et al, 2003).


Material

Luva esteril;
Avental cirurgico;
Sondas de aspiracao no 4 ou 8 para criancas e no 10 e 12 para adultos;
Frasco de soro fisiologico;
Frasco de agua destilada esteril;
Seringa de 10 ml;
Ambu (ressussitador manual);
Gazes estereis,
Saco plastico pequeno (tipo bolsa de colostomia),
Rede de aspiracao a vacuo testada ou aspirador eletrico,
Extensao de borracha (latex) esteril,
Mascara cirurgica;
Oculos de protecao ou viseira.

Técnica

01 - Lavar as maos;
02 - Explicar o procedimento e finalidade ao paciente (mesmo que ele esteja inconsciente);
03 - Reunir o material;
04 – Isolar o paciente;
05 - Colocar mascara e/ou oculos, se necessario;
06 - Verificar tipo e caracteristica da respiracao e condicoes dos batimentos cardiacos. Observar se o paciente encontra-se em ventilacao mecanica (assistida ou controlada), espontanea. Conforme o padrao respiratorio do paciente, estar muito atento ao tempo de aspiracao, o qual tera que ser inferior ao padronizado (15 segundos);
07 - Utilizar a sonda de aspiracao compativel com o numero do tubo endotraqueal do paciente;
08 - Abrir a embalagem da sonda de aspiracao esterilizada e conecta-la a extremidade do latex;
09 - Ventilar o paciente 3 vezes consecutivas utilizando o proprio respirador mecanico, fracao inspirada FIO2 de 100% ou com ambu com reservatório (oxigenio a 100%);
10 - Calcar luvas;
11 - Garantir que o cuff da sonda endotraqueal esteja rigorosamente insuflado;
12 - Desconectar o respirador com a mao esquerda ou solicitar que um segundo elemento o faca e que este segundo elemento tambem use luva;
13 - Tomar cuidado para nao contaminar as conexoes, a canula endotraqueal e a extremidade do respirador ao desconecta-lo;
14 - Apanhar a sonda de aspiracao e ligar o aspirador;
15 - Introduzir a sonda de aspiracao na sonda endotraqueal, mantendo o latex pressionado, com a outra mao (esquerda). A sonda de aspiracao deve ser introduzida em toda a sua extensao;
16 - Despressionar o latex para criacao de succao e, simultaneamente, com a mao direita, fazer movimentos circulares lentos (semi-rotacao) na sonda de aspiracao, trazendo-a para fora da canula endotraqueal, pressionando novamente o latex quando estiver na porcao final da canula;
17 - Cuidar para nao ultrapassar 15 (quinze) segundos no total do tempo de succao:
I - Para succao do bronquio direito, voltar a cabeca do paciente para o lado esquerdo;
II - Para succao do bronquio esquerdo, voltar a cabeca do paciente para o lado direito;
18 - Suspender a aspiracao e ventilar o paciente quando ocorrer arritmias cardiacas, cianose, sangramento ou outras anormalidades;
19 - Ventilar o paciente novamente, conforme descricao do item 08, para corrigir a hipoxia provocada pela succao;
20 - Repetir as operacoes dos itens 15 e 16, quantas vezes forem necessarias e de acordo com as condicoes clinicas do paciente, lembrando sempre que a cada 15 segundos de aspiração o paciente devera ser ventilado, para depois reiniciar a aspiracao;
21 - Religar o ventilador ou o nebulizador no paciente, certificando-se de que o respirador ou nebulizador esteja com os parametros anteriores sob controle;
22 - Realizar aspiracao orofaringea, procedendo da seguinte forma:
a) Introduzir a sonda alternadamente em cada narina, ate a faringe, mantendo o latex sob succao e, simultaneamente, com a mao enluvada, fazer movimentos circulares com a sonda de aspiracao;
b) Aspirar a boca do paciente ate a faringe, se necessario, repetindo a operacao, nao esquecendo de aspirar o orificio da canula de Guedel, introduzindo completamente a sonda de aspiracao;
23 - Desprezar a sonda de aspiracao. Lavar a extensao do latex apos a aspiracao da canula de Guedel e/ou boca;
24 – Desprezar a secrecao do frasco de aspiracao e retirar a luva;
25 - Desligar o aspirador;
26 - Auscultar os pulmoes do paciente apos a aspiracao para avaliar a eficacia da aspiracao e se houve melhora da ventilacao pulmonar;
27 – Lavar as maos;
28 - Deixar o paciente numa posicao confortavel;
29 - Deixar a unidade em ordem;
30 - Anotar no prontuario: aspecto e quantidade da secrecao aspirada, reacoes e intercorrencias com o paciente como: sangramento, cianose, apneia, arritmias, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário