Pesquise no blog

segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Técnica Punção Venosa Periférica

Punção venosa periférica

Punção venosa periférica
1º- Checar a prescrição médica   2º-    Lavar as mãos antes do procedimento

               3º-    Preparar o material para a punção venosa periférica,bandeja,dispositivo
 intravenoso,torniquete,algodão com álcool, luvas de procedimentos, esparadrapo, soro
 com equipo e suporte de soro.

                 4º- Explicar o procedimento ao cliente.

                  5º-Selecionar e preparar o dispositivo intravenoso.

                  6º- Selecionar o lugar da punção venosa.

                   7º- Posicionar o membro selecionado para a punção e apoiá-lo.


                    8º- Fazer compressão no membro com o torniquete aproximadamente
 a 10 cm de distância do local desejado.

                    9º- Calçar as luvas de procedimento no momento da punção.


                   10º- Manter o torniquete aproximadamente a 10 cm
de distância do local selecionado para inserção do dispositivo. 

                  11º-  Fazer a anti-sepsia com álcool a 70% no sentido
do retorno venoso por 30 segundos.

                 12º- Esticar a pele no momento da punção aproxima-
damente a 4 cm do local de inserção.

                13º- Inserir a agulha com bisel para cima,aproximadamente
1 cm do local pretendido e com ângulo de 15º ou paralela à superfície da pele.

                14º- Observar o refluxo venoso através da câmara do
dispositivo intravenoso,ou testar com pressão negativa,por meio de aspiração com a
seringa acoplada ao  dispositivo.

                15º- Soltar o torniquete após a punção.

                16º- Fechar o sistema por meio da conexão do equipo
ou seringa,sem perda sanguínea e técnica asséptica.

               17º- Fixar o dispositivo intravenoso com microopore ou
esparadrapo (caso o cliente não seja alergico)

               18º- Infundir a solução, conforme prescrição médica.

               19º- Observar as queixas e reações do cliente, identi-
ficando precocemente complicações locais e/ou sistêmicas.

              20º- Desprezar material pérfuro-cortante em caixa
rígida e resistente.

              21º- Retirar as luvas e desprezá-las no lixo da sala
séptica.

            22º- Lavar as mãos após o procedimento.

           23º- Datar a fixação do dispositivo venoso e rotular o
soro (nome do cliente,data,tipo de solução,gotejamento e tempo de infusão,horário
de início e término e identificação do profissional.

         24º- Orientar o cliente quanto aos cuidados para manu-
tenção da punção.


                                               25º- Anotar o procedimento executado no prontuário do
cliente.
   
       
                                                    

Um comentário: